Covid19

Tratamento para caso leve de paciente Covid-19 suspeito

DRG Brasil
Postado em 24 de abril de 2020 - Atualizado em 23 de fevereiro de 2021

Ouça o podcast: Dr. Renato Couto aborda qual é o tratamento indicado em casos leves de pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus

Casos leves atendidos em ambulatório ou em serviço de urgência/emergência são os casos que não necessitam de internação.

Devem ser manejados com medidas não-farmacológicas como repouso, hidratação, alimentação adequada, além de analgésicos e antitérmicos e isolamento domiciliar por 14 dias a contar da data de início dos sintomas.

Medicamentos:

Antitérmico via oral:

1ª opção: Paracetamol (200 mg/ml ou 500mg/comprimido), a cada 4 horas ou a cada 6 horas a depender da frequência de febre ou dor.

  • Crianças: 10-15 mg/kg/dose (máximo de 5 doses ao dia)
  • Adultos: 500-1000 mg/dose (máximo de 3mg/dia)

2ª opção: Dipirona (solução gotas 500mg/ml ou 500mg/comprimido) em caso de dor ou febre, de 6/6 horas.

  • Crianças > 3 meses: (lactentes 10 mg/kg/dose; pré-escolares: 15 mg/kg/dose)
    • Adultos: 500-1000 mg VO (dose máxima no adulto 4 gramas)

Oseltamivir para todos os casos de síndrome gripal que tenham situações de risco para complicações, independentemente da situação vacinal do paciente, iniciando idealmente até 48 horas após o início dos sintomas (Nota: oseltamivir não tem ação contra o SARS-CoV-2, devendo ser revisto se o teste para influenza for negativo). Para crianças há apresentações de 30, 45 e 75 mg.

  • Adultos: 75mg de 12 em 12 horas por 5 dias
    • Criança maior de 1 ano:
      • ≤15 kg 30 mg, 12/12h, 5 dias
      • 15 kg a 23 kg 45 mg, 12/12h, 5 dias
      • 23 kg a 40 kg 60 mg, 12/12h, 5 dias
      • 40 kg 75 mg, 12/12h, 5 dias
    • Criança menor de 1 ano de idade:
      • 0 a 8 meses 3 mg/Kg, 12/12h, 5 dias
      • 9 a 11 meses 3,5 mg/kg, 12/12h, 5 dias

Exames Complementares e seguimento dos casos leves:

  • Solicitar radiografia de tórax, hemograma e provas bioquímicas antes do paciente ser dispensado para o domicílio, segundo a avaliação clínica realizada pelo médico.
  • Orientar os pacientes quanto ao controle de infecção, prevenção de transmissão para contatos e sinais de alerta para possíveis complicações.
  • Reavaliar o paciente a cada 48 horas. A reavaliação deve ser feita, preferencialmente, por Telessaúde. A presença de qualquer sinal de alerta deverá determinar retorno e hospitalização imediata do paciente.

Acesse mais podcasts sobre #Covid-19 no canal do Grupo IAG Saúde no Spotify:

Posts Relacionados

Estudo comprova eficiência de sistema de saúde baseado em valor

Covid19
4 de fevereiro de 2022
leia agora

Estudo do SUS de MG, em parceria com a UFMG, analisa eventos adversos pós-vacinação contra COVID-19 e recomenda: confiem nas vacinas!

Covid19
24 de setembro de 2021
leia agora

Fábio Gastal avalia o enfrentamento da Covid-19 pelo sistema de saúde brasileiro

Covid19
24 de agosto de 2021
leia agora

(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital