Modelo Assistencial

Hospital Mãe de Deus adota estratégias de VBHC e implanta VMO com apoio dos dados gerados pela plataforma Valor Saúde Brasil by DRG Brasil + Inteligência Artificial 

DRG Brasil
Postado em 19 de maio de 2023 - Atualizado em 13 de junho de 2023

A entrega de valor em saúde consiste na relação entre os desfechos que importam para os pacientes e os custos para atingi-los. Ou seja, é entregar o melhor resultado clínico ao menor custo. Quando os hospitais se comprometem com a entrega de valor em saúde, a qualidade assistencial  aumenta e há uma redução de desperdícios.

Veja, a seguir, como o Hospital Mãe de Deus implementou estratégias de VBHC (Value-Based Health Care, traduzindo para o português, “valor em saúde”), e criou o Value Management Office (VMO), em português “Escritório de Valor”, com apoio dos dados gerados pela plataforma Valor Saúde Brasil by DRG Brasil + Inteligência Artificial.

O case foi apresentado pelo Tiago Almeida Ramos, Gerente Médico e Líder do Escritório de Valor em Saúde do Hospital Mãe de Deus, Yellow Belt em VBHC, na Jornada Valor em Saúde Brasil 2022.

Sobre o Hospital Mãe de Deus

O Hospital Mãe de Deus, situado em Porto Alegre/RS, pertence à instituição filantrópica AESC (Associação Educadora São Carlos), que se dedica às áreas da educação e saúde, além de apoiar projetos sociais. Entre os hospitais da instituição, o Hospital Mãe de Deus é o principal.

Desde 1979, o Hospital Mãe de Deus oferece soluções completas em saúde, diagnóstico e tratamento, com foco em atendimento humanizado, seguro e centralizado na resolução de cada caso. Referência no atendimento médico-hospitalar de alta complexidade, o hospital é acreditado pela Joint Commission International (JCI), a maior e mais antiga agência verificadora da qualidade e segurança em saúde do mundo. 

O Hospital Mãe de Deus foi destaque na pesquisa Top of Mind 2022 ao conquistar o primeiro lugar entre os hospitais privados mais lembrados da capital gaúcha. Em relação à eficiência, satisfação e qualidade, o Hospital está entre os 100 melhores do mundo e os 6 melhores do Brasil pela World 's Best Hospitals 2022. A Sociedade Gaúcha também o reconhece como o mais lembrado de Porto Alegre.

Para oferecer o melhor atendimento possível, o hospital conta com uma estrutura de 312 leitos divididos da seguinte forma:

  • 60 leitos de CTI
  • 16 leitos de UCE
  • 208 leitos de UI
  • 18 leitos de MI
  • 10 leitos de CTI Neo
  • 14 salas cirúrgicas
  • 2 salas Hemodinâmica/Híbrida

O ecossistema de saúde privada do Hospital Mãe de Deus é integrado pelas seguintes redes:

  • Hospital Carlos Gomes (dedicado a cirurgias)
  • Centro Integrado de Oncologia (dedicado à oncologia clínica/cirurgia oncológica)
  • Unidade Litoral
  • Centro Onco-Radioterapia

A área construída do Hospital Mãe de Deus é de aproximadamente 55 mil m², onde estão concentrados 2 mil equipamentos de tecnologia avançada, uma equipe de profissionais altamente qualificados e com experiência clínica, treinados por mais de 2.300 médicos credenciados.

O contexto por trás da implementação do VMO no Hospital Mãe de Deus

Embora esteja bem posicionado, focado na parte de segurança, qualidade e satisfação, o Hospital Mãe de Deus enfrenta os desafios comuns à saúde suplementar em todo o Brasil. São eles:

  • Transição demográfica (até 2030 o Brasil vai ser o 5º país com mais idosos)
  • Transição epidemiológica baseada em uma tripla carga de doenças - doenças crônicas degenerativas, doenças por causas externas e doenças infecto-contagiosas
  • Desperdícios no sistema de saúde
  • Alto custo com a aquisição de novas tecnologias na saúde
  • Necessidade de tornar o sistema de saúde mais sustentável
  • Pacientes mais informados e exigentes em relação à entrega de valor

Devido às transições demográfica e epidemiológica e aos desafios financeiros apresentados, os hospitais precisam concentrar seus esforços em aumentar a qualidade assistencial e reduzir os desperdícios.

Nesse contexto, a saúde baseada em valor torna-se ainda mais urgente. Contudo, para as os hospitais alcançarem êxito na entrega de valor, eles precisam disponibilizar a estrutura (Pessoas e Tecnologia) que irá criar o contexto para que os times clínicos otimizem a entrega de valor.  O hospital precisa ter: qualidade; relacionamento; gestão médica; eficiência clínica e fluxo de paciente. Assim, é possível implementar ações de VBHC bem-sucedidas e criar um Escritório de Valor como o Hospital Mãe de Deus fez.

“Tem que ter um solo fértil, para que seja possível entregar valor. É neste solo fértil que crescerá um bom Escritório de Valor, que vai liderar as implementações do cuidado baseado em valor para o paciente”, diz Tiago Ramos. 

Desafios enfrentados para implementação do VMO

Para implementar o Escritório de Valor, o Hospital Mãe de Deus enfrentou alguns desafios:

  1. Desenvolver analistas que pudessem avaliar dados que mostram a entrega de valor em saúde
  2. Aperfeiçoar a codificação para obter dados confiáveis que pudessem ser comparados
  3. Envolver as lideranças do corpo clínico, que são fundamentais para a construção de protocolos de cuidado
  4. Integrar o setor de Qualidade ao Escritório de Valor
  5. Controlar os custos - mensurar a relação entre os desfechos que importam para o paciente e o custo deles 
  6. Organizar a mensuração dos desfechos assistenciais por ferramentas que possam entregar aquilo que o paciente espera

Ações adotadas pelo Hospital Mãe de Deus

Para contornar os desafios mencionados acima, o Hospital Mãe de Deus adotou as seguintes estratégias de VBHC:

  • Capacitar os profissionais internos de tecnologia da informação com um olhar focado na entrega de valor. 
  • DRG/Codificação: contratação de uma equipe especializada (codificadores) para realizar codificações de qualidade no  DRG Brasil, garantindo a geração de informações qualificadas.
  • Lideranças clínicas: difusão de conhecimento nas reuniões e nos fóruns do corpo clínico, popularizando os conceitos básicos e a essência de valor em saúde.
  • Setor de Qualidade: integração ao VMO para atuar em conjunto com o Escritório de Valor na busca de valor em saúde.
  • Controle de custo: o VBHC tornou-se o modelo de qualificação de contas e custeio de alguns ambientes.
  • Ferramentas para mensurar desfecho: a inovação tem sido fundamental para o paciente sair do hospital com uma ferramenta, na palma da mão, que envia informações e acompanha o paciente sempre que ele tem necessidade de ter um ponto de contato com o hospital.

Assim como o Hospital Mãe de Deus, hospitais de todo o Brasil estão alcançando resultados positivos com o apoio da plataforma Valor Saúde Brasil powered by DRG Brasil + Inteligência Artificial. Confira depoimentos de alguns deles:

Se você quiser saber mais sobre a ferramenta, fale com um dos nossos especialistas!


Crédito/imagem

CarlosDavid.org by iStock

Posts Relacionados

Tempo de espera do paciente: como diminuir

Modelo Assistencial
23 de maio de 2024
leia agora

Como aumentar a produtividade de equipes assistenciais em hospitais?

Modelo Assistencial
16 de maio de 2024
leia agora

Hospital Santo Antônio usa DRG Brasil para melhorar atendimento nas linhas de cuidado de pacientes com asma e sepse

Modelo Assistencial
3 de maio de 2024
leia agora
QMS Certification

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.


(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital