Modelo Assistencial

Sustentabilidade Econômica: como alcançar em hospitais?

DRG Brasil
Postado em 23 de novembro de 2023 - Atualizado em 27 de dezembro de 2023

Neste artigo, exploraremos os desafios e soluções para alcançar a sustentabilidade econômica em instituições de saúde.

Ainda, tocaremos em questões fundamentais para alcançar essa sustentabilidade, como o foco nos 4 alvos assistenciais e o uso de uma plataforma adequada. Boa leitura!

O que é sustentabilidade econômica?

A sustentabilidade econômica, no contexto hospitalar, é uma abordagem abrangente que visa promover o equilíbrio entre práticas financeiras e administrativas, assegurando o desenvolvimento econômico e a saúde financeira da instituição. 

Por que a sustentabilidade econômica é importante para os hospitais?

Ao priorizar a sustentabilidade econômica, os hospitais assumem diretamente a responsabilidade pela preservação da saúde financeira. O equilíbrio financeiro é uma estratégia necessária para o sucesso a longo prazo. 

Um dos benefícios mais tangíveis é a promoção de maior economia financeira em médio e longo prazos. A implementação de práticas eficientes em produtos e processos não apenas reduz custos operacionais, mas também contribui para a otimização dos recursos, promovendo um uso mais responsável e sustentável.

Desafios no alcance da sustentabilidade econômica em hospitais

A busca pela sustentabilidade econômica exige não apenas a definição de metas claras, mas também a criação de projetos concretos que abordem as complexidades do setor, desde a eficiência operacional até a excelência na experiência do paciente. E é aqui que aparece a metodologia do Balanced Scorecard

Embora o BSC tenha se destacado como um modelo de gestão abrangente desde sua criação em 1992, sua implementação enfrenta obstáculos específicos no setor da saúde:

Foco excessivo em indicadores financeiros

O primeiro desafio reside na necessidade de transcender a tradição focada exclusivamente em indicadores financeiros. O BSC propõe uma abordagem mais holística, considerando não apenas a perspectiva financeira, mas também as dimensões de clientes, processos internos e aprendizado e crescimento. 

No entanto, a transição de uma mentalidade centrada apenas nos resultados financeiros para uma visão mais ampla requer uma mudança cultural substancial dentro dos hospitais.

Complexidade do setor de saúde

Outro desafio crucial está relacionado à definição clara de uma visão para cada perspectiva do BSC. Estabelecer metas ambiciosas e mensuráveis para as dimensões financeira, de clientes, processos internos e aprendizado e crescimento requer um profundo entendimento das dinâmicas específicas do ambiente hospitalar

A missão de ser referência em segurança e experiência do paciente, por exemplo, exige não apenas comprometimento, mas uma compreensão profunda das complexidades inerentes à área da saúde.

Relação entre métricas e resultados reais

A efetiva implementação do BSC também enfrenta desafios na definição de resultados-chave e indicadores de desempenho relevantes para o contexto hospitalar. 

Métricas como taxa de retenção de pacientes, churn rate e net promoting score tornam-se vitais para avaliar a perspectiva de clientes. No entanto, adaptar essas métricas de forma a refletir a realidade da saúde, onde a satisfação e a fidelidade dos pacientes têm um impacto direto na qualidade do serviço, é um desafio intrínseco.

Cenário regulatório

A gestão de conhecimento, destacada na perspectiva de aprendizado e crescimento, apresenta-se como um desafio contínuo. 

Em um setor caracterizado por mudanças regulatórias frequentes, alto risco de conflitos judiciais e evolução tecnológica, garantir a constante melhoria dos recursos humanos e dos sistemas informacionais é essencial, mas não isento de desafios.

4 alvos assistenciais: oportunidades de melhoria no sistema de saúde 

No contexto da busca pela sustentabilidade econômica em hospitais, a gestão eficiente desempenha um papel crucial. A qualidade assistencial é um componente central desse processo, e abordar oportunidades de melhoria é essencial para alcançar resultados positivos e sustentáveis. 

imagem descreve os quatro alvos assistenciais, fundamentais para sustentabilidade economica

Nesse sentido, quatro alvos assistenciais destacam-se como pontos-chave para aprimorar o sistema de saúde e otimizar a utilização de recursos.

1. Uso Eficiente do Leito Hospitalar

A eficiência no uso de leitos hospitalares é vital para evitar desperdícios e otimizar recursos. Problemas como eventos adversos intra-hospitalares, burocracia nas relações hospitalares e modelos remuneratórios desalinhados impactam diretamente o tempo de internação. 

A abordagem eficiente dessas questões pode reduzir custos, evitar prolongamentos desnecessários e promover a agilidade nos processos hospitalares.

2. Aumento da Segurança Assistencial

A segurança do paciente é um pilar fundamental para garantir a qualidade dos serviços de saúde. Custos adicionais decorrentes de danos aos pacientes durante a internação impactam significativamente o sistema. 

A implementação de processos que visam à prevenção de eventos adversos, aliada à melhoria contínua na gestão de processos hospitalares, é crucial para minimizar riscos, reduzir custos e proporcionar um ambiente mais seguro para os pacientes.

3. Redução de Internações Evitáveis

A identificação e redução de internações por condições sensíveis à atenção primária são oportunidades-chave para melhorar a eficiência do sistema. 

Aprimorar o acesso e a resolutividade da atenção primária, bem como ajustar modelos remuneratórios para incentivar a resolutividade, são passos essenciais. Isso não apenas reduzirá a pressão sobre os leitos hospitalares, mas também melhorará a qualidade da assistência ao paciente.

4. Diminuição de Readmissões Preveníveis

Evitar readmissões preveníveis demanda uma abordagem integrada que garanta continuidade qualificada da assistência hospitalar. A atenção pós-alta, juntamente com a minimização de eventos adversos que se manifestam no domicílio, são aspectos cruciais. 

A implementação de programas efetivos de acompanhamento ambulatorial e domiciliar contribui para a prevenção de complicações e a redução das taxas de readmissão.

Esses alvos assistenciais foram identificados em um estudo abrangente realizado pela comunidade acadêmica DRG Brasil, envolvendo instituições renomadas. 

O estudo, baseado em uma extensa base de dados, destaca oportunidades de melhoria que, quando exploradas de maneira eficaz, podem gerar economias substanciais e promover a sustentabilidade no sistema de saúde brasileiro.

Ao alinhar esses alvos assistenciais às diretrizes propostas pelo DRG (Diagnosis Related Groups), é possível promover uma transformação significativa na gestão hospitalar

A integração de processos, a adoção de modelos remuneratórios alinhados com resultados e a capacitação contínua de equipes são peças-chave nesse processo de aprimoramento, contribuindo para a construção de um sistema de saúde mais qualificado e sustentável. 

Essa abordagem não apenas beneficia a eficiência econômica, mas também eleva a qualidade dos serviços prestados aos usuários do sistema de saúde.

Plataforma Valor Saúde Brasil: oportunidade para seu hospital alcançar a sustentabilidade econômica

A plataforma Valor Saúde Brasil, desenvolvida pelo Grupo IAG Saúde, emerge como catalisadora da sustentabilidade econômica hospitalar. Integrando tecnologias avançadas e adaptada à realidade brasileira, esta plataforma opera em três pilares estratégicos:

  1. Experiência do Paciente Aprimorada
    1. Foco na jornada do paciente, assegurando tratamento qualificado e satisfatório.
  2. Eficiência na Utilização de Recursos
    1. Monitoramento preciso dos recursos, otimizando leitos e reduzindo desperdícios.
  3. Qualidade Assistencial Elevada
    1. Metas assistenciais específicas para uso eficiente de leitos, segurança e prevenção.

Entre as estratégias para sustentabilidade, destaca-se que a ferramenta pode ser utilizada para a implantação da remuneração por performance, que garante um incentivo à qualidade, considerando indicadores coletivos e individuais. A plataforma também viabiliza o uso eficiente de leitos, uma vez que permite um monitoramento preditivo, reduzindo tempo de permanência e aumentando eficiência.

Vale destacar, ainda, a segurança assistencial reforçada, que é levada a termo graças a uma abordagem preventiva e preditiva para evitar eventos adversos. Por fim, a plataforma influencia diretamente na redução de internações e readmissões, através de uma análise criteriosa para evitar hospitalizações e readmissões desnecessárias.

Quer saber mais? Então conheça a plataforma Valor Saúde Brasil em detalhes.


Crédito/imagem: nito100 by iStock

Posts Relacionados

Como reduzir o risco de reinternação em hospitais

Modelo Assistencial
23 de fevereiro de 2024
leia agora

Os impactos da metodologia DRG na dimensão financeira de instituições de saúde

Modelo Assistencial
5 de fevereiro de 2024
leia agora

Fhemig usa DRG Brasil para melhorar a eficiência e a segurança assistencial dos hospitais que gerencia 

Modelo Assistencial
2 de fevereiro de 2024
leia agora
QMS Certification

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.


(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital