Modelo Assistencial

Cenário hospitalar no Brasil exige mecanismos para entrega de valor

DRG Brasil
Postado em 17 de setembro de 2020 - Atualizado em 23 de outubro de 2023

Acesso a serviços de saúde qualificados e resolutivos deve ser um bem universal e uma prioridade pública. Para isso, mudanças estruturantes precisam ser implantadas.

Um dos maiores desafios do sistema de saúde brasileiro é compreender as experiências inovadoras, porém não sistemáticas, que surgem na gestão da saúde em vários pontos do país. É o caso do mindset de saúde baseada em valor, metodologia DRG, remuneração por performance, entre muitos outros. 

Falando especificamente de hospitais, a gama de serviços oferecidos por essas instituições torna a administração complexa e cara, e a supervisão e o controle extremamente desafiadores. A gestão hospitalar requer profundidade e amplitude de conhecimentos para compreender todos os componentes de um hospital e integrá-los efetivamente, ao passo que monitorar o desempenho e o uso dos recursos requer informações confiáveis e atualizadas.

Na operação de um sistema hospitalar há elevados recursos financeiros, tanto para instalação como para a manutenção da operação. A abertura de um novo hospital é complexa, e após estar em operação é mais complexo ainda manter níveis adequados de sustentabilidade e quase impossível interromper ou diversificar as atividades. Essas condições estruturantes tornam o segmento hospitalar diferente da maioria de outros segmentos econômicos, nos quais, em momentos de crise, é bem mais factível alterar a produção ou até mesmo encerrar suas atividades.

O papel dos componentes do sistema de gestão hospitalar para a saúde baseada em valor

Formuladores de políticas, administradores e planejadores hospitalares - tanto do setor público como do setor privado - têm como obrigação prover mecanismos de entrega de valor em saúde. Em outras palavras, para uma melhor assistência, melhores desfechos, contenção de desperdícios, com soluções inovadoras e efetivas de governança clínica para o duplo desafio da qualidade e da contenção de custos. Acesso a serviços de saúde qualificados e resolutivos deve ser um bem universal e uma prioridade pública.

Atualmente, todos os atores do segmento da saúde no Brasil estão insatisfeitos e em busca de alternativas para mudarem a situação atual:

Os hospitais estão com baixa eficiência, reduzidas margens econômicas operacionais e altos níveis de endividamento;

As operadoras de planos de saúde estão com elevada sinistralidade e o sistema público com carências crônicas de financiamento;

Os médicos mostram-se insatisfeitos com o padrão de honorários praticados pelas operadoras de planos de saúde e pela gestão pública, além das deficientes condições de trabalho;

As empresas adquirentes do benefício de saúde não conseguem mais transferir os custos crescentes para os seus custos de produção;

E os pacientes estão insatisfeitos com as enormes dificuldades de acessibilidade ao sistema de saúde, tanto pela demora nos atendimentos quanto às barreiras econômicas para aquisição/manutenção de planos privados. Além disso, há uma grande insatisfação quanto à qualidade e segurança dos serviços prestados.

Quando esta situação ocorre em um segmento econômico de tamanha envergadura e importância para a sociedade, mudanças estruturantes precisam ser implantadas para que possa surgir um novo paradigma de desempenho. A Confederação Nacional de Saúde, em seu relatório “Sistema de Saúde 2017” propõe:

  • Rever a matriz produtiva do segmento com a ampliação de redes e grupos hospitalares: não existe espaço para organizações de pequeno ou médio porte que atuam de forma isolada sem ações de colaboração com outras organizações. A formação de grandes redes hospitalares trará uma migração crescente de margens e resultados dos pequenos e médios hospitais para as grandes redes hospitalares.
  • Construir um novo modelo de relacionamento entre hospitais, operadoras, empresas e pacientes: o foco atual é na doença e não na saúde. Integrar a agenda dos principais atores do segmento na busca de um novo modelo focado na qualidade do atendimento e na mensuração do desfecho clínico, com maior participação e compromisso do paciente na gestão da sua saúde.
  • Incorporar novas metodologias de gestão: implementar de forma imediata e eficiente, metodologias de gestão da qualidade, gestão e automação de processo, compras conjuntas, central de serviços compartilhados, centros automatizados de comando da operação, remuneração por resultado, reconhecimento e valorização baseados na meritocracia, inteligência competitiva entre outras.
  • Implementar novos modelos de governança: fortalecimento dos conselhos    de administração, implementação de modelos sistemáticos de auditoria interna e externa e de programas de compliance que assegurem as melhores práticas éticas em todos os ambientes da organização.

A performance hospitalar é de difícil mensuração em decorrência da carência de dados referentes às condições prévias à internação e, por isso, a avaliação de desempenho costuma focar-se no estudo de variáveis relacionadas à movimentação de pacientes e utilização de leitos hospitalares.

É neste contexto que a plataforma de valor em saúde DRG Brasil atua. Ao incorporar as condições de saúde de cada paciente no momento de sua internação hospitalar, preenche a lacuna das variáveis clínicas e se transforma em instrumento indutor de melhores práticas de governança, pela transparência dos desfechos, compartilhamento do aprendizado e entrega de valor em saúde.

“A atenção à saúde representa um quebra-cabeça para todos os países, e os hospitais são os componentes mais importantes e onerosos de qualquer sistema de saúde. Nos países de renda baixa e média os hospitais são o centro do sistema de saúde. Mesmo nos países mais pobres, os hospitais constituem o foco primordial da capacitação profissional e a referência para todo o sistema de saúde. Nesses países, os hospitais formam a base para um bom atendimento à saúde. No entanto, em muitos dos países em desenvolvimento os hospitais têm sido sistematicamente negligenciados”.


Maureen Lewis, ex-Economista-chefe de Desenvolvimento Humano do Banco Mundial (La Forgia). CEO do Aceso Global.

Sustentabilidade na saúde é tema de evento internacional com a participação do Nobel de Medicina

Membro da Comunidade Acadêmica da plataforma DRG Brasil, a Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM Portugal), em parceria com o Seal Group, lançam pelo segundo ano consecutivo a conferência Connecting Healthcare, sobre o tema “Desenvolvimento e sustentabilidade: que desafios para as organizações?”

Num contexto de pandemia Covid-19 em que a saúde e a economia atravessam tempos de grande incerteza, este é um evento da maior relevância a nível global.

Esse ano, o keynote speaker é o Professor Peter Doherty. Prêmio Nobel da Medicina e Fisiologia (1996), Australiano do Ano (1997), figura de grande relevância científica por descobertas relacionadas à da defesa imunitária celular, os estudos de Doherty representam um novo caminho para a descoberta de novas vacinas.

A conferência será dia 23 de setembro. Aqueles que estão no Brasil podem acompanhá-la por acesso remoto. Clique aqui para saber mais informações e realizar sua inscrição.

Posts Relacionados

Como aumentar a produtividade de equipes assistenciais em hospitais?

Modelo Assistencial
16 de maio de 2024
leia agora

Hospital Santo Antônio usa DRG Brasil para melhorar atendimento nas linhas de cuidado de pacientes com asma e sepse

Modelo Assistencial
3 de maio de 2024
leia agora

Codificação clínica: o que é e qual a real importância?

Modelo Assistencial
3 de maio de 2024
leia agora
QMS Certification

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.


(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital