Modelo Assistencial

O que é DRG Brasil? Saiba como funciona e por que contratar

DRG Brasil
Postado em 22 de janeiro de 2020 - Atualizado em 1 de fevereiro de 2024

Aprimorar o modelo assistencial e remuneratório é fundamental para oferecer um atendimento de mais qualidade aos pacientes. É para isso que a metodologia DRG foi criada, com o foco na entrega de valor.

No contexto da saúde, isso significa oferecer resultados assistenciais com redução dos desperdícios e melhoria da experiência do paciente. 

Mas como esse patamar é alcançado? Com a ajuda da inteligência artificial e outros recursos tecnológicos relevantes, proporcionados pela metodologia DRG.

Para entender melhor como esse método de promover a saúde funciona e quais são os benefícios de sua aplicação em hospitais e operadoras de saúde, criamos este artigo. 

Boa leitura!

  • A criação da metodologia DRG e sua aplicação mundial
  • Como funciona a metodologia DRG?
  • Quais os principais benefícios do método?
  • Entenda os diferenciais do DRG Brasil
  • Quais são as vantagens do uso da metodologia

A criação da metodologia DRG e sua aplicação mundial

A metodologia DRG foi criada nos anos de 1960 para avaliar os grupos de diagnósticos relacionados, tal como indica sua sigla em inglês (Diagnosis Related Groups). 

Nos Estados Unidos, a plataforma é utilizada pelos sistemas públicos e privados de saúde. Já na Europa, o sistema foi adotado primeiramente em Portugal, onde foi implementado em 1984. Na América Latina, por sua vez, ainda há espaço para ampliação do uso.

O país com maior aplicação na América Latina é o México. Outras nações — como Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica e Uruguai — também já adotam o sistema, ainda que de forma limitada.

Aqui, no Brasil, a adesão é crescente. Grandes hospitais e operadoras de saúde já utilizam a metodologia DRG e melhoraram seus resultados econômicos e assistenciais. 

Entre eles estão várias unidades do Sistema Unimed, Hospital Madre Teresa, Hospital Biocor, Uberlândia Medical Center, Hospital Evangélico de Vila Velha, Hospital São Mateus, Santa Casa de Campo Grande, Hospital Cardiológico Constantini, Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Santa Casa de Maringá e Hospital Erasto Gaertner.

O motivo para a preferência é simples: o uso da inteligência artificial oferece uma gestão de risco 4P, ou seja, baseada em predição, personalização,prevenção e participação. Esses princípios são assegurados por meio de uma plataforma especializada e que foi adaptada para o cenário brasileiro.

A seguir, você saberá mais sobre como a metodologia DRG foi moldada às particularidades dos sistemas de saúde nacionais. Saiba mais!

Como funciona a metodologia DRG Brasil?

A metodologia DRG Brasil é voltada para o seguinte triplo objetivo: melhoria da experiência do paciente, adequação/otimização dos custos e o aumento da qualidade assistencial. 

Pela plataforma de governança clínica, os dados assistenciais e econômicos geram insights, que aumentam a geração de valor no sistema de saúde.

O método DRG Brasil consiste em um sistema de classificação de pacientes hospitalizados. Eles são divididos de acordo com as suas complexidades, o que permite comparar os resultados e fazer previsões mais assertivas para o futuro.

A categorização depende de diferentes variáveis. Entre elas estão:

  • O diagnóstico principal que levou à internação.
  • O diagnóstico de condições clínicas do paciente e o seu histórico no momento da internação.
  • As cirurgias e intervenções terapêuticas, por exemplo, a necessidade de ventilação mecânica.

Além disso, são usadas características do paciente, como idade, peso, gênero e presença de comorbidades, entre outros critérios impactantes e individuais da saúde. 

Todos esses detalhes são identificados por um profissional especializado, chamado de codificador DRG. Ele coleta os dados do prontuário e garante a solidez dos diagnósticos, o principal e o secundário.

Mais que isso, o codificador DRG valida os procedimentos realizados e qualifica os dados importados. Com essa etapa de validação, a precisão dos dados é garantida e o resultado da metodologia DRG Brasil corresponde à realidade.

No entanto, o trabalho ainda vai além. A partir da validação do banco de dados, a plataforma gera relatórios e acompanha indicadores que apresentam os aspectos e processos a serem melhorados na gestão.

Como resultado, os gestores descobrem o que foi previsto e o que foi realizado no que se refere aos resultados assistenciais e econômicos, bem como à permanência hospitalar.

Dessa maneira, a tomada de decisão é aperfeiçoada, potencializando a entrega de valor.

Quais os principais benefícios do método?

O uso do método, adaptado ao contexto brasileiro, traz vários benefícios aos médicos, pacientes, operadoras, instituições e prestadores de saúde.

Os principais são:

  • A identificação de oportunidades para a redução dos desperdícios do sistema de saúde;
  • Propõe um modelo remuneratório baseado em valor, em vez do “Fee for Service”.
  • Um controle mais eficiente da sinistralidade às operadoras de saúde.
  • A metodologia DRG promove a sustentabilidade econômica do sistema de saúde.
  • Hospitais e operadoras de saúde podem focar na segurança do paciente durante a internação e depois desse período de cuidado intensivo.
  • A predição de resultados e recursos.
  • A melhoria do desempenho da organização.
  • A avaliação da qualidade do serviço prestado.
  • O uso eficiente do leito hospitalar.

Todos esses benefícios fazem com que a metodologia DRG seja implementada em organizações de saúde, realmente democratizando o acesso ao atendimento de qualidade para a população.

Além disso, esse sistema de saúde apresenta outros diferenciais. Vamos conhecê-los e entender como eles podem aprimorar o atendimento clínico?

Entenda os diferenciais do DRG Brasil

Feito no Brasil para os brasileiros e o sistema de saúde nacional, a metodologia do DRG Brasil usa algoritmos complexos e inteligência artificial para gerar diagnósticos relacionados.

Para exemplificar, podemos citar um caso hipotético de dois pacientes que foram admitidos com pneumonia, mas um deles era sadio e outro, por sua vez, já tinha insuficiência renal. 

O diagnóstico principal é o mesmo, mas os secundários são diferentes — e precisam ser considerados.

Em um caso como esse, fica claro que o segundo requer uma atenção maior, por ter mais chances de complicação em seu quadro clínico ou hospitalar.

Além disso, há a implementação de uma metodologia que viabiliza a governança clínica nas organizações de saúde brasileiras, fazendo com que as diretrizes e regulamentações do setor sejam respeitadas, o que traz segurança informacional tanto para os hospitais, quanto para os pacientes.

Outro fator relevante é a adequação do método DRG Brasil às diferentes realidades. Ao considerar as regionalidades distintas, é possível envolver mais as pessoas do sistema de saúde, gerando informações mais relevantes e qualificando-as. 

Outros diferenciais são:

  • A adaptação da plataforma às características brasileiras.
  • O uso de referências nacionais e internacionais para a comparação de desempenho.
  • A entrada dos dados com códigos de saúde usados no Brasil.
  • O uso de módulos gerenciais para o monitoramento e gestão da produção assistencial hospitalar e do corpo clínico para melhorar os resultados.

Esses pontos de atenção também melhoram o desempenho econômico e assistencial de hospitais e operadoras de saúde. 

Vamos entender como o uso da metodologia DRG Brasil impacta positivamente todas as partes envolvidas em um atendimento? É sobre isso que queremos falar no próximo tópico!

Vantagens do uso da metodologia DRG Brasil

Com o uso da tecnologia, fica fácil aplicar o método DRG Brasil em diferentes situações.

Em qualquer um dos casos, ele gerencia custos, a qualidade assistencial e a venda de serviços.

É por isso que a metodologia DRG Brasil já é usada em mais de 420 hospitais e 94 operadoras de saúde do país, com alcance de mais de 20 milhões de vidas.

Afinal, todos os envolvidos no atendimento hospitalar têm vantagens com a sua aplicação:

  • Operadoras: há um controle da sinistralidade, devido à previsibilidade de custos e compartilhamento de ganhos.
  • Hospitais: considera a entrega de valor adaptada à realidade do paciente e gera informações para melhorar a qualidade assistencial.
  • Equipe de assistência: ganha reconhecimento com a maior qualidade do atendimento.
  • Paciente e família: melhoria da segurança assistencial, com menor chance de ocorrerem complicações de saúde e aumento do envolvimento e do engajamento durante o tratamento.

Achou interessante esse novo método de avaliar a complexidade do sistema de saúde?

Que tal saber mais sobre a metodologia DRG Brasil? Entre em contato com nossos especialistas!


Crédito/ Imagens

Imagem destacada: Arquivo IAG

Imagem do meio do conteúdo: LightFieldStudios via iStock

Posts Relacionados

Operadoras de planos de saúde: um guia para a eficiência

Modelo Assistencial
18 de abril de 2024
leia agora

Hospital Nossa Senhora das Graças reduz permanência média em 1 dia com DRG Brasil

Modelo Assistencial
11 de abril de 2024
leia agora

Notificação de eventos adversos: um guia para hospitais

Modelo Assistencial
28 de março de 2024
leia agora
QMS Certification

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.


(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital