Modelo Assistencial

Como garantir o tempo de permanência hospitalar adequado?

DRG Brasil
Postado em 16 de janeiro de 2023 - Atualizado em 31 de janeiro de 2023

Ter um tempo de permanência hospitalar adequado é fundamental para a experiência positiva do paciente e sua segurança, além de contribuir para melhores resultados na instituição de saúde.

Seguir as médias de internação recomendadas por programas de qualidade indica que o hospital está oferecendo um atendimento eficiente e colocando o paciente no centro dos cuidados. 

Como calcular essa métrica e como garantir o tempo de permanência hospitalar adequado? Confira neste artigo.

O que é permanência hospitalar?

Permanência hospitalar é o conceito que representa o tempo médio, em dias, que os pacientes ficam no hospital. Usualmente, é uma medida que avalia internações, de forma geral, considerando os períodos de recuperação e acompanhamento profissional.

Trata-se de uma métrica que a instituição deve utilizar para verificar a qualidade do seu serviço, monitorando a média de entradas e saídas do centro.

O que é considerado como tempo de permanência hospitalar adequado?

O tempo de permanência hospitalar adequado deve ser considerado a partir da classificação dos hospitais, sendo pequeno, médio e grande porte. Não existem determinações oficiais, apenas recomendações usadas como parâmetros para avaliar a eficiência da instituição. 

Além disso, existem alguns dados que ajudam a identificar o tempo de permanência hospitalar adequado. Segundo o Programa Compromisso com a Qualidade Hospitalar (CQH), a média para hospitais gerais notificantes (segundo o guia de terminologia do Ministério da Saúde, hospitais gerais são aqueles que atendem as quatro especialidades básicas. São notificantes, neste caso, porque notificaram o Programa sobre suas médias) era de 4 dias, com uma variação de 0,2 a 18,6 dias.

Enquanto isso, hospitais com selo de qualidade do Programa apresentavam média de 5 dias de permanência hospitalar, com variação de 3 a 7,4 dias. Nesse caso, a variabilidade decorre de pontos como especialização de atendimento, porte e nível de complexidade das instituições.

Como calcular o tempo de permanência hospitalar?

Segundo documento publicado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), existe uma fórmula que permite calcular o tempo de permanência hospitalar em determinado período, sendo:

Número de pacientes-dia / Número de saídas no período

Nesse caso, considera-se a somatória de pacientes-dia do hospital no espaço de tempo avaliado, dividido pela somatória das altas, transferências externas e óbitos. Por exemplo, se uma instituição possui 50 pacientes-dia e 20 saídas, a taxa média seria de 2,5 dias de permanência.

Classificação dos hospitais a partir do tempo de permanência do paciente

A classificação dos hospitais a partir do tempo de permanência média adota a seguinte determinação:

  • 2 a 3 dias de permanência: hospital de pequeno porte;
  • 3 a 4 dias de permanência: hospital de médio porte;
  • 4 a 5 dias de permanência: hospital de grande porte.

Essa é a meta que o Programa CQH busca implementar nacionalmente. Além disso, fatores como complexidade dos atendimentos e especialização podem influenciar esse dado.

Por que é importante adequar a permanência hospitalar?

Adequar a permanência hospitalar do paciente na instituição se relaciona diretamente com o desenvolvimento de boas práticas de atendimento. Afinal, se a recuperação do indivíduo acontece em um período considerado adequado, as rotinas de cuidados estão sendo eficientes.

Por isso, este indicador ajuda a entender mais sobre o desempenho da gestão e da equipe, além de encontrar as melhores formas de atender os indivíduos internados.

Ainda, é importante se atentar para a média de permanência hospitalar, uma vez que longos períodos podem aumentar os riscos de infecções ou a falta de identificação de problemas mais graves relacionados ao paciente.

adequar o tempo de permanência hospitalar

4 estratégias para adequar o tempo de permanência hospitalar

Após entender a importância desse indicador, confira algumas estratégias para adequar o tempo de permanência hospitalar para os pacientes da sua instituição:

1. Implementar protocolos clínicos

A implementação de protocolos clínicos contribui para otimizar a gestão interna e acompanhar o paciente, permitindo identificar patologias mais rapidamente. Afinal, o paciente contará com uma rotina padronizada para determinadas condições. Caso a média de permanência ultrapasse a previsão, será mais simples de entender quais as próximas etapas.

Além disso, ao seguir um padrão de monitoramento, é possível localizar outros possíveis problemas, tendo um sistema de verificação que permite à equipe se comunicar com maior transparência quanto aos atendimentos que já foram feitos.

2. Criar um grupo de gestão de leito

Outra recomendação oficial dos programas de qualidade é criar um grupo de gerenciamento de leitos hospitalares, para otimizar os recursos utilizados durante a estadia do paciente. Dessa forma, será possível adequar o tempo de permanência do usuário, além de possibilitar ao hospital encontrar as melhores alternativas de utilização dos leitos conforme cada caso.

Uma equipe especializada também possibilita conferir se todas as etapas de atendimento foram devidamente cumpridas, orientando a equipe multidisciplinar em processos como transferências ou check-ups.

Uma gestão especializada também otimiza a rotatividade dos leitos, por ter um conhecimento mais aprofundado, permitindo a liberação mais rápida ou identificação de abordagens que o paciente precise para adequar sua permanência.

3. Foco na segurança do paciente

Uma análise nacional da comunidade acadêmica DRG Brasil identificou quatro oportunidades de melhorias no sistema de saúde brasileiro, podendo melhorar a experiência e assistência ao paciente, e adequar sua permanência hospitalar corretamente.

Por isso, é importante que a gestão interna busque atingir esses alvos de intervenção, sendo:

  1. Uso eficiente do leito hospitalar;
  2. Aumento da segurança assistencial;
  3. Redução de internações evitáveis;
  4. Diminuição de readmissões previsíveis.

Trabalhar nesses pontos permite não apenas adequar a permanência do indivíduo, como reduzir as chances de retorno. Assim, é importante focar nessas intervenções, por meio de equipes especializadas e análises mais assertivas para colocar o paciente no centro do cuidado.

4. Uso da tecnologia

Para atingir esses objetivos e atuar diretamente nos pontos de melhoria do sistema de saúde brasileiro, é fundamental utilizar a tecnologia como aliada. Ferramentas automatizadas e inteligentes, com data analytics, permitem entender como a permanência hospitalar da instituição se comporta e encontrar as estratégias adequadas para melhorar esses pontos.

Com uma plataforma como a Valor Saúde Brasil by DRG Brasil + Inteligência Artificial, é possível ter um cuidado centrado no paciente atingindo os 4 alvos de melhoria.

DRG é uma sigla para Diagnosis Related Groups. Em português, essa sigla pode ser entendida como Grupo de Diagnósticos Relacionados, e diz respeito a uma metodologia de gerenciamento da qualidade assistencial dos sistemas de saúde.

Mundialmente conhecida e aplicada, a metodologia tem efeitos diretos no custo, uma vez que adota modelos remuneratórios baseados em valor. 

A adequação do tempo de permanência hospital é favorecida pelo DRG, uma vez que a redução do desperdício assistencial, a melhora na qualidade do atendimento e o gerenciamento eficiente de leitos acabam por reduzir o número de dias de internação utilizados desnecessariamente.

como a plataforma DRG Brasil impacta em hospitais

Os resultados são evidentes: a Rede São Camilo SP experimentou uma redução do tempo de internação hospitalar de 1,3 dias para 1,1 dia. O resultado positivo também se repetiu na Unimed-BH, com redução da permanência hospitalar desnecessária, indo de uma ineficiência de 113,9% para 94,7% de eficiência e economizando em torno de 4.400 diárias.

Conte com a plataforma Valor Saúde Brasil by DRG Brasil + Inteligência Artificial e melhore os índices de permanência hospitalar. Entre em contato com nossos especialistas!

Créditos/imagens:

Imagem destacada: ipopba by iStock

Imagem do corpo do texto: Wavebreakmedia by iStock

Posts Relacionados

Operadoras de planos de saúde: um guia para a eficiência

Modelo Assistencial
18 de abril de 2024
leia agora

Hospital Nossa Senhora das Graças reduz permanência média em 1 dia com DRG Brasil

Modelo Assistencial
11 de abril de 2024
leia agora

Notificação de eventos adversos: um guia para hospitais

Modelo Assistencial
28 de março de 2024
leia agora
QMS Certification

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.


(31) 3241-6520 | grupoiagsaude@grupoiagsaude.com.br

Creative Commons

Direitos autorais: CC BY-NC-SA
Permite o compartilhamento e a criação de obras derivadas. Proíbe a edição e o uso comercial. É obrigatória a citação do autor da obra original.

Os Termos de Uso e a Política de Privacidade deste site foram atualizados em 05 de abril de 2021. Acesse:
© ‎Grupo IAG Saúde® e DRG Brasil ® - Todos os direitos são reservados.
Logo Ingage Digital